Novidades

Dia da Infância

24 – Dia da Infância5Dia 24 de Agosto é o Dia da Infância. Ao contrario do que algumas pessoas possam pensar, essa data não tem nada em comum com o Dia das Crianças comemorado em 12 de outubro, mas sim é uma data instituída pela UNICEF com a finalidade de promover uma reflexão sobre a condição da vida das crianças de todo o mundo. Em 20 de novembro de 1959, foi aprovada a Declaração dos Direitos das Crianças, com 10 princípios que devem ser seguidos por todos:
 
1- Todas as crianças são iguais e têm os mesmo direitos, não importa sua cor, raça, sexo, religião, origem social ou nacionalidade.
2- Todas as crianças devem ser protegidas pela família, pela sociedade e pelo Estado, para que possam se desenvolver fisicamente e intelectualmente.
3- Todas as crianças têm direito a um nome e a uma nacionalidade.
4- Todas as crianças têm direito a alimentação e ao atendimento médico, antes e depois do seu nascimento. Esse direito também se aplica à sua mãe.
5- As crianças portadoras de dificuldades especiais, físicas ou mentais, têm o direito a educação e cuidados especiais.
6- Todas as crianças têm direito ao amor e à compreensão dos pais e da sociedade.
7- Todas as crianças têm direito à educação gratuita e ao lazer.
8- Todas as crianças têm direito de ser socorridas em primeiro lugar em caso de acidentes ou catástrofes.
9- Todas as crianças devem ser protegidas contra o abandono e a exploração no trabalho.
10- Todas as crianças têm o direito de crescer em ambiente de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.
 
Embora as crianças estejam protegidas por lei, sabemos que no mundo todo centenas de crianças sofrem maus tratos, preconceitos e são exploradas por adultos de diversas formas. Vamos aproveitar a data para promover a proteção às nossas crianças, refletir e agir a respeito de um futuro decente para a nossa sociedade.

Conheça 9 razões para comprar peças seminovas

clothingrecycling

Uma das melhores maneiras de beneficiar seu próprio orçamento, salvar o meio ambiente e satisfazer seu desejo de comprar produtos únicos é fazer compras em lojas de seminovos, como a KidZ.

As lojas de mercadorias seminovas oferecem a oportunidade de você, consumidor, encontrar itens em perfeito estado, com pouquíssimo uso e uma vida útil ainda enorme.

A seguir, confira 7 razões pelas quais você deve considerar fazer compras de roupinhas e calçados seminovos para seus filhos:

1. Muito mais acessível
Quando você compra em lojas de seminovos ou brechós, seu dinheiro rende muito mais. Em média, os produtos usados ​​são geralmente 50% mais baratos – ou mais-  permitindo que você economize dinheiro para outras despesas mais importantes.

2. Você começa a experimentar a emoção de “garimpar”
Garimpar mercadorias até descobrir que existem itens com um preço imbatível podem ser estimulantes. Dessa forma, as compras de “segunda mão” são muito mais recompensadoras do que nunca uma compra de varejo.

3. É mais fácil identificar a qualidade
Como a maior parte das mercadorias que você encontrou já foi usada, você consegue ver o tecido que tem mais qualidade e o que não. Prático e acessível.

4. É amigo do meio ambiente
Como uma grande quantidade de bens produzidos pelas indústrias é rotineiramente descartada, a reutilização dá vida a itens que outra pessoa pode usar. Isso poupa recursos naturais na produção de mais peças, como roupas e calçados.

5. Reusar é sinônimo de economia
Itens ou roupas que você não usa mais, você pode trocar em uma loja como a Kidz. O ato de reusar não apenas faz com que as peças sejam aproveitadas até o fim de sua vida útil, como também ajuda a manter o  dinheiro na economia local.

franquia-joana-joao

6. Grandes marcas
Se você é um indivíduo que adora etiqueta, é provável que você encontre muitas roupas de grandes marcas disponíveis nas araras. Lojas de seminovos são uma ótima maneira de vestir bem seus filhos, com marcas famosas, economizando bastante e ajudando o meio ambiente.

7. Novas mercadorias chegam diariamente
Lojas como a Kidz recebem itens diariamente. Então a busca por um item é sempre uma novidade. Se hoje não tem o que você está procurando, as chances de que em alguns dias o produto esteja na loja é grande.

Como fazer compras é uma parte essencial de nossa economia, entregar-se a lojas e oportunidades de seminovos é uma forma de promover a economia de forma benéfica, salvar o meio ambiente e ainda satisfazer seus desejos por roupas e itens exclusivos.

Venha para a KidZ!

Quando colocar o filho na creche? Veja dicas para escolher a escola

educamais-creche

É durante a primeira infância que as crianças desenvolvem habilidades cognitivas, motoras e emocionais, todas elas importantes para o crescimento dos pequenos. Por isso, ter contato com outras crianças na creche pode ser uma experiência saudável, mas não deve ser forçada. Não existe uma “idade ideal”, que valha para todas as crianças. Especialistas argumentam que, a partir dos dois anos, as crianças começam verdadeiramente a socializar umas com as outras.

Mas, se você precisa deixar seu filho com alguém antes desse período, não é um problema. Os pais podem observar o nível de maturidade emocional do filho para entender se ele está preparado para essa nova experiência ou não: ele ainda é muito dependente? A creche o ajudaria com isso ou não? Ele tem muitos medos? Ele consegue ficar longe dos pais sem se sentir abandonado? É interessante também conversar com o pediatra, pois ele acompanha o desenvolvimento da criança e pode ajudar a avaliar a decisão.

Como escolher uma boa creche?

Tão importante quanto a decisão de colocar seu filho em uma creche é escolher qual a melhor instituição de ensino para o início do aprendizado. Por isso, confira algumas dicas que podem ajudá-lo a escolher a escola:

Avalie a proposta pedagógica

Mesmo que a criança seja pequena, avalie o programa de ensino da escola: que tipos de habilidades ela pretende estimular, quais atividades são prioridade, o que a escola em questão considera fundamental para o desenvolvimento da criança. Esses temas precisam estar claros para você.

Conheça a infraestrutura

Verifique se a escola tem a infraestrutura necessária para atender a quantidade de crianças matriculadas. Observe as condições de higiene do banheiro, da cozinha, do refeitório e também das áreas comuns. Questione a direção sobre a equipe de cuidadores, número de funcionários, horários e rotinas de atividades. Não fique com nenhuma dúvida.

Converse com outros pais

Busque referências sobre a instituição. Você pode encontrar pais que já tenham outros filhos mais velhos matriculados na creche, ou então buscar ajuda em grupos nas redes sociais. Uma pesquisa básica na internet pode ajudá-lo a encontrar alusões à instituição de ensino, mas não se esqueça de conversar com outras famílias. Se não se sentir seguro, peça indicações de outras creches a pais em que você confia.

Crie um diálogo com a escola

Crie uma via de comunicação direta com a escola. Pode ser por meio da agenda da criança, caderno ou até mesmo por e-mail. É importante que você consiga saber o que está acontecendo no dia a dia do seu filho, e como ele responde a eventuais situações desafiadoras. Preste atenção também aos sentimentos da criança. Ela pode indicar, por meio das emoções, se está feliz ou não na creche escolhida.

Estabeleça um limite para o seu orçamento

Você pode ter encontrado a creche dos sonhos para seu filho, mas a mensalidade precisa estar dentro do seu orçamento. Do contrário, você provavelmente se sentirá sobrecarregado.

Fonte: https://g1.globo.com/especial-publicitario/educa-mais-brasil/estudar-para-transformar/noticia/quando-colocar-o-filho-na-creche-veja-dicas-para-escolher-a-escola.ghtml

Dicas para curtir o Carnaval com as crianças

just-real-moms-800x491

  1. Prefira blocos infantis ou com perfil mais familiar, que aconteçam durante o dia e em lugares arborizados ou com sombra.
  2. Em locais com aglomerações, redobre os cuidados com segurança. Coloque nos filhos pulseira de identificação ou crachá com nome da criança, nome dos pais e contato, para que a família possa ser localizada rapidamente em caso de desaparecimento.
  3. Em festas na rua, verifique se o local está fechado para o acesso de carros. Em salões cobertos, observe se o piso é escorregadio, se o acesso às escadas é protegido e se as janelas possuem telas ou grades. Em qualquer um dos casos, mantenha supervisão constante.
  4. Para pintar a pele das crianças, use tinta e maquiagem atóxicas e hipoalergênicas. Evite artigos de procedência duvidosa, sem selo do Inmetro ou aprovação da Anvisa. Cuidado com a área dos olhos ao passar tinta ou glitter.
  5. Confetes de papel são melhores do que os de alumínio, brilhantes, que podem ser cortantes. Evite espuma em spray, que é altamente inflamável. E explique às crianças por que elas não devem colocar confete na boca, enrolar a serpentina no pescoço ou brincar de jogar espuma nos olhos e na boca de outras pessoas.
  6. Coloque roupas confortáveis nas crianças. Prefira fantasias com tecidos leves e frescos, como algodão, sem excesso de adereços que incomodem. Não se esqueça do chapéu ou gorro em dias de sol.
  7. Evite roupas com cordões ou o uso de correntes no pescoço, pois eles podem se prender em algum lugar e causar estrangulamento. Também fique atento a botões e pequenos ornamentos, que podem se soltar e ser engolidos, causando sufocação.
  8. Para evitar quedas, escolha calçados confortáveis e firmes, com boa aderência ao pé. Tênis devem ficar com os cadarços sempre bem amarrados. Uma dica da ONG Criança Segura é trocar os cadarços por elásticos coloridos.
  9. Cuide da hidratação das crianças. Leve água, água de coco ou suco — se estiver calor, considere armazenar os líquidos em garrafa térmica. Mães que amamentam também devem se hidratar frequentemente.
  10. Leve comida, pois nem sempre há opções saudáveis disponíveis para comprar no local. Frutas são uma ótima pedida, especialmente as que contêm bastante água, como melancia, melão, laranja ou tangerina.
  11. Aplique protetor solar nos pequenos — e, se for o caso, repelente também — e não se esqueça de levar o frasco para reaplicar.
  12. Se o calor estiver muito forte, leve guarda-chuva para se abrigar do sol — existem até opções com proteção UV.
  13. Em blocos com bateria ou trio elétrico, fique longe do som alto. Dependendo da idade e da sensibilidade da criança, considere levar protetor auricular ou fones infantis anti-ruído.
  14. Leve um pano ou canga para que a família possa se sentar e descansar de vez em quando.
  15. Respeite o limite das crianças e não fique tempo demais. Se notar sinais de sono ou irritação, é hora de ir para casa.

Fonte: https://g1.globo.com/carnaval/2018/noticia/carnaval-com-criancas-veja-15-dicas-para-curtir-os-blocos-em-familia.ghtml